Tag Archives: Museu

Buenos Aires: Dia 3

21 maio

Prontos para mais um post  tamanho GIG??? Mais um dia lotadoooo de atividades legais por Buenos Aires.

Começamos pelo tour guiado no Teatro Cólon, mas pelo caminho cruzamos com o Obelisco lindão bem pertinho da gente. A visita ao teatro vale muito a pena, dura cerca de 50 minutos e tem acesso ao teatro inteiro, e a guia vai contando a história toda.

DSC_0223

O Teatro é realmente de cair o queixo, lindo demais, todo em mármore, muito dourado espalhado e a terceira melhor acústica do mundo. Fiquei desejando ver a orquestra, que estava ensaiando, se apresentar, deve ser divino!!!!

DSC_0232 DSC_0233 DSC_0234 DSC_0235 DSC_0236DSC_0271 DSC_0267 DSC_0264DSC_0237DSC_0239DSC_0244DSC_0254DSC_0280

Logo depois do almoço fomos fazer um passeio guiado por San Telmo, bairro que estavamos hospedadas, e amei conhecer de perto, conta bem a história de Buenos Aires. Conhecemos ali onde a personagem Mafalda foi criada, e ela toda prosa sentadinha no banco, muiiiito fofa!
DSC_0289

Muros lindos pintados por toda parte no bairro, que é muito estiloso, com a feirinha de fim de semana, muitos antiquários espalhados, explosão de cores e produtos feitos ali na hora, como as pashiminas lindas e muito coloridas.DSC_0294

Bien Venidos a San Telmo “Joliyud”DSC_0302 DSC_0304 DSC_0305 DSC_0306 DSC_0307

De lá fomos direto para o famoso Caminito, no bairro La Boca, outro passeio super cultural e com explosão de cores. Os moradores dali aproveitavam os restos de tintas dos navios para pintar suas casas, por isso casinhas tão coloridas e de cores diferentes.

O bairro fica bem na beirada do antigo Porto Madero, onde os navios de cruzeiros ainda atracam. É lindo, mas bem perigoso, o único lugar onde não se deve andar a pé e tomar bastante cuidado com os pertences.

DSC_0310 DSC_0312

Bem neste bairro fica o clube de futebol do Boca Juniors, ótimo passeio para os meninos, dá para curtir o museu e até entrar nas arquibancadas do clube. Pequeno, mas bem legal.

DSC_0340DSC_0319 DSC_0320 DSC_0321 DSC_0323 DSC_0325 DSC_0339
Fora toda agitação do dia tivemos uma noite mais tranquila, fomos ao tango do famoso Café Tortoni, o café fica em cima, no nível da rua, muito antigo (1858) vive lotado e vale a visita.

Já o tango…. Na primeira visita a Buenos fomos ao tango do Señor Tango super recomendado e um mega show, orquestra ao vivo, show de dança, cavalos, roteiro bem definido, que prende o espectador, enfim, saímos de lá maravilhados, mas esse aí do Tortoni não me convenceu não… Não gostei!

Música toda gravada em playback, as poucas músicas cantadas o microfone falhou inúmeras vezes, dança bem fraca e sem sincronia, o teatrinho super fraco. Não recomendo não, mas também o preço é beeeem mais baixo, mais ainda acho que vale a pena investir um pouco mais e ir no Señor Tango ou no Tango Rojo do Hotel Faena e ver um espetáculo de verdade.
DSC_0351 DSC_0352 DSC_0354 DSC_0363 DSC_0367 DSC_0368 DSC_0369 DSC_0370

Para fechar a night fomos a Puerto Madero jantar no El Mirasol, restaurante bom, não foi o melhor da viagem não, e com ótima cotação do dólar e do real para troca. Mas o que valeu a pena mesmo foi a vista de Puerto pela noite, é de cair o queixo, vale a pena a passada antes de voltar para o hotel.

DSC_0371DSC_0375

Lindo, não?

O blog não vai ficar monotema, mas só falta 1 dia de Buenos… Tudo foi tão lindo nesse último dia que quero mostrar logo para vocês. O Zôo Lujan é aquela visita que vale a pena a viagem inteira, vocês vão ver.

Love.

Bru

Anúncios

Buenos Aires: Dia 2

20 maio

Em Buenos assim que acordamos no dia 2 congelamos! Fez cerca de 8 graus, mas ventava muito e a sensação térmica era muito menor, justo no dia que resolvemos fazer o dia de passeios ao ar livre, mas enfim, acordamos cedo e fomos!

Começamos pelo Parque 3 Febrero e seu Rosedal lindo, muitas e muitas mudas de flores que estavam começando a brotar, lindíssimas e com muita carinha de europeu! O parque é bem grande e como não tinhamos muito tempo ficamos somente no Rosedal, mas tem pedalinho, lugar para picnic, para correr, uma delícia para passar aqueles dias ao ar livre. Vale a pena conhecer com calma.

DSC_0055DSC_0058DSC_0060DSC_0061DSC_0068DSC_0071DSC_0072DSC_0073

Saindo de lá fomos para o Jardim Japonês, lugar mais que badalado e conhecido por fotos, mas que das outras vezes não tive tempo para visitar. É bem em frente ao Rosedal, então fomos a pé, aliás esse dia os roteiros foram feitos a pé mesmo, porque Palermo/Recoleta é uma bairro delicioso e lindo de andar, e porque as distâncias eram curtas.

DSC_0077DSC_0084DSC_0078DSC_0083DSC_0087DSC_0088DSC_0094

Gostei do Jardim, apesar de achar bem pequeno, mas também acho que se estivesse com mais tempo livre teria aproveitado mais! Aproveitei que lá tinha Melona, o melhor picolé do mundo apresentado a mim por Larissa, e mesmo com todo o frio do mundo que fazia não resisti ao bendito!

DSC_0098

O que mais me impressionou nos dois jardins? Tudo muito bem cuidado, limpo, arborizado, organizado, achei isso bacana, mesmo no Rosedal onde não cobram entrada, inclusive banheiros limpíssimos.

Dizem que o restaurante japonês do jardim japonês, em frente ao lago das carpas é ótimo, mas ainda estávamos longe do almoço e não deu para provar, eu bem que queria.

Mais para frente um pouco está o Planetário, lindo com suas luzes, queria ter voltado pela noite, mas não rolou, também não entramos.

DSC_0100

A próxima parada foi o Malba – Museu de Arte Latinoamericana de Buenos Aires, quem me conhece bem sabe que não sou muito fã de pinturas, e nem gosto de museus (ai gente juro que já tentei ser mais culta nessa área), mas quando cheguei fiquei animada, uma das minhas artistas preferidas estava em exposição com suas obras de artes, Adriana Varejão, uma carioca muito expressiva, além dela havia pinturas de Tarsila do Amaral e Botero, super curti esse museu, além de que ele é lindo por dentro.

DSC_0103DSC_0111DSC_0109DSC_0112DSC_0118DSC_0119DSC_0123DSC_0131

Logo alí perto, passando por muitas embaixadas, fomos ver a tão famosa Floralis Generica a flor que foi um presente do arquiteto argentino Eduardo Catalano e fica na Plaza de Las Naciones Unidas, antigamente ela abria e fechava as suas pétalas dependendo da hora do dia, mas estragou, pelo menos estragou aberta, e não consertaram ainda. Mesmo assim ela continua linda!

DSC_0145

Do lado dela, como éramos 4 advogadas na trip estava a Faculdade de Direito e ficamos lá babando naquele prédio lindo!

DSC_0134

A essa altura já estávamos famintas e o restaurante escolhido foi o La Cabrera em Palermo (tivemos que ir e voltar de taxi, já que ele é lá perto do Rosedal), e a escolha foi perfeita. Tradicional parrilha argentina, com mil complementinhos juntos, pastinhas e purês super deliciosos e uma decoração fofa!

DSC_0150DSC_0151DSC_0152DSC_0153DSC_0154

As deliciosas comidas….

DSC_0156DSC_0157DSC_0158DSC_0159DSC_0160

A carne um caso de amor… Divina.

Continuando a nossa caminhada fomos ao Cemitério da Recoleta que é lindo. Muitas esculturas vindas diretamente da Itália, já que lá estão “enterradas” as famílias mais ricas de Buenos Aires, enterradas entre aspas porque lá eles não enterram os caixões, eles ficam em uma sala trancada, suspensos mesmo, mini capelas, com exceção de Evita, que está no túmulo de sua família, mas enterrada porque ficaram com medo de roubarem o corpo.

DSC_0161DSC_0163

Túmulo de EvitaDSC_0165DSC_0166

Um cemitério como ponto turístico é estranho, mas ele é bem bonito, vive lotado e tem até visita guiada. Vale ir uma vez para conhecer.

Bem em frente tem os queridíssimos Freddo e Havana, vale um café por ali antes da passada no Museu de Belas Artes, que não amei não (kkkk).

Eita dia comprido…. Pegamos um taxi e bora para a Avenida Santa Fé, lugar das lojas, onde os argentinos fazem compras, e a primeiríssima parada foi na Livraria El Ateneo Grand Splendid, que tem outras espalhadas pela cidade, mas essa é extremamente especial. 

Era um teatro que virou cinema, um cinema que virou livraria e virou atração turística. Com toda razão, é linda e enorme! O café fica bem em cima do palco, e todos os demais andares repletos de livros. Os camarotes viraram salas de leituras, e confesso que ficaria alí uma tarde inteira lendo alguns clássicos.

DSC_0179DSC_0180DSC_0173DSC_0182

Saindo de lá vale muito a caminhada que fizemos pela avenida que é enorme, para conhecer as marcas nacionais e com preços melhores, mas ainda não vantajosos!

E a noite o que nos esperava era uma baladjénha! Estava doida para conhecer a noite argentina, e mesmo com todo cansaço do mundo ainda tivemos que enfrentar um desafio. Desafio? Sim, escolhemos ir a um bar secreto que só vai quem sabe chegar, não tem placa, não tem letreiro, não tem nada identificando, olhando de fora parece mesmo uma casa como a da vizinhança.

Para a entrada tem que ter um password, que você adquire desvendando uma charada, através das pistas que eles deixam pelo facebook ou twitter, nada muito difícil mas deu um certo trabalho, chegando lá se estiver correto eles te dão uma senha numérica que você digita no orelhão da porta e pronto, as portas se abrem.

Chegando ao Frank’s Bar de cara percebo que o esforço compensou, o bar é lindo, e mesmo ainda vazio o clima é aconchegante e envolvente. De repente começa a encher de pessoas super descoladas, jovens e bonitas, observando ao redor vejo de tudo, first date, aniversário, grupo de amigos, grupo de amigas (como nós)uma mistura deliciosa.

DSC_0187DSC_0193DSC_0194DSC_0198DSC_0199DSC_0200DSC_0201DSC_0204DSC_0202DSC_0206

Tudo isso acompanhado por garçonetes de minisaias e muito bem informadas para sugerir de forma certeira comidinhas e drinks, como fizeram na nossa mesa.

DSC_0215 DSC_0217 DSC_0222

Amei o bar e voltaria muitas e muitas outras vezes!

Assim acabou mais um dia, cansadas mas felizes =) Fechamos com chave de ouro.

Love.

Bru

Curitiba parte II

7 mar

Bem, seguindo do Jardim Botânico fomos para o Museu de Oscar Niemeyer, lindo!

DSC_0048 DSC_0052 DSC_0055 DSC_0058

Numa área externa do museu tem um café super fofo e gostoso, babem nas gostosuras que comemos de almo-lanche!DSC_0060 DSC_0061 DSC_0062 DSC_0063

Partimos então para a Ópera de Arame, lugar onde acontecem shows e teatro, em uma antiga pedreira.

DSC_0066 DSC_0068 DSC_0070 DSC_0071 DSC_0078DSC_0080 DSC_0081O lugar é muito encantador, fiquei imaginando as produções ali com luzes e etc. Deve ser realmente perfeito.

Mas foi saindo dalí, um pouquinho mais para cima, que me apaixonei por um lugar, o Parque Tingui, deu muita vontade de sacar o tênis e sair correndo explorando o parque que é enorme, e tem o pôr do sol mais lindo que já vi. Preparadas?

Conto tudo no próximo post!!!

=)

Love.

Bru

Turistando pelo Rio: Museu Militar Conde de Linhares

14 fev

Depois da visita ao Zôo do Rio fomos direto ao Museu Militar Conde de Linhares, que fica bem na esquina do portão principal da Quinta da Boa Vista.

Ele é pequeno e um passeio bem rápido, mas como meu irmão é louco por armas e guerra não tive como evitar.

DSC_0157 DSC_0158 DSC_0159 DSC_0160 DSC_0161 DSC_0162 DSC_0163 DSC_0164 DSC_0165 DSC_0167 DSC_0168 DSC_0169 DSC_0170DSC_0173 DSC_0174 DSC_0175 DSC_0176 DSC_0177 DSC_0178 DSC_0179 DSC_0180

Bombas, armas, tanques, granadas, tudo isso réplicas e originais, de muitas guerras passadas e inclusive tem uma parte exclusiva para contar a história da evolução das armas, muito bacana.

Fiquei um pouco aflita lá dentro, muita arma junta, tive a impressão que uma hora aquilo tudo ia disparar ou explodir, kkkkk. Tinham até efeitos especiais.

Bem legal o passei culturalmente e uau os tanques são enormes, amei conhece-los.

A entrada custa R$4,00 e tem meia para estudantes e idosos, o museu se encontra em São Cristóvão no Bairro Imperial, é só seguir as placas para a Quinta da Boa Vista, é em frente.

Vocês estão gostando das dicas de passeios no Rio??? Esse ano prometo mais posts neste estilo.

Love.

Bru

E família, não me mate pelas participações especiais de vocês ok?! Amo muito.